Como é bom te olhar nos olhos e sentir tudo o que você me transmite, sentir tudo o que você me fala mesmo sem ter que dizer — complexo de entender, mas isso faz parte de nós. .
Nós nunca fomos simples apesar de sermos, cabe a você aí do outro lado entender o que estou tentando falar. Eu não quero te confundir, é fácil entender eu e ela, mas só se você for um ótimo leitor, porque não estamos no óbvio das palavras ditas com clareza, somos mais chegados as entrelinhas, elas nos define melhor, já que não temos uma definição tão exata e clara assim.
Eu e ela somos como aqueles desenhos que você assistiu a sua infância toda e amava demais, mas que não sabia o que ele queria te passar e anos depois você conseguiu entender ao tomar banho e acabar lembrando do nada como várias outras aleatoriedade que vem na nossa cabeça embaixo do chuveiro.
Nós somos indefiníveis e difíceis demais de entender assim como o espaço-tempo ou as teorias do Stephen Hawkins sobre o universo, mas somos interessantes como aqueles contos intrigantes e aleatórios que lemos pela internet.
Eu e ela nunca deixará de existir mesmo estando longe ou se formos destruídos em algum tipo de explosão como o Big Bang, é que até o cosmo está ao nosso lado.